A Beautiful Sight, de Sandi Lynn

domingo, junho 24, 2018


| Por Ana Maria Moura  |


At the age of eight years old, I lost two things: my parents and something that most people take for granted. It was at that moment I began to experience the world differently from everyone else. I accepted my fate, living my life to the fullest and the best way I know how. Giving up on love was something I had to do because men couldn’t cope with my condition. Then I met him and he changed everything for me. A smart, sexy, and shattered man who hid in the shadows of his own tragedy. A man who kept the better part of himself concealed away from the world. I wanted to show him that life was more than how he saw it. My name is Aubrey Callahan and I am blind.


The moment I laid eyes on her, I wanted her. She was beautiful, uncomplicated, and one night was all I needed. People referred to me as “The Iceman” because I was controlling, ruthless, and didn’t give a damn about people’s feelings. I was a user and the only person I protected was myself. Then something happened after a single night with her. The feelings and nightmares that I buried years ago began to resurface. Even though I was a billionaire who could have anything in the world, I couldn’t stop the demons that lived inside me. Aubrey couldn’t see me for who I really was and she deserved better than me. My name is Ethan Klein and I am a destroyed man.

Talvez seja minha culpa. Depois de Forever Black, uma das histórias mais lindas que já li, da mesma autora, fui com sede demais ao pote furando a fila imensa de livros que tenho para ler para curtir esse livro, curtir mesmo. Estava ansiosa por ele.

Talvez eu não esteja no humor também... Quem sabe? Mas definitivamente esse livro foi uma grande decepção para mim. Posso definir A Beautiful Sight em: muita história para pouco livro. 

Em pouco mais de duzentas páginas, os personagens se conheceram, foram em um encontro, dormiram juntos, se apaixonaram, brigaram e resolveram a trama central do livro. Talvez não seja muito rápido para alguns, mas para mim foi. Os diálogos são rasos, mal-trabalhados e um tanto quanto exagerados. 

No primeiro capítulo eles se conhecem, conversam, se encontram no dia seguinte, ela convida ele para jantar em sua casa, ele vai, eles jantam e transam. Ufa... Quase fiquei sem fôlego escrevendo tudo isso. Pois é! Imagina lendo!

A cegueira da personagem é tão mal explorada, que por vezes fiquei em dúvida se a mocinha era realmente cega: ela sabia onde estava mesmo que fosse a primeira vez no lugar, como por exemplo, a casa do mocinho. A impressão que tive foi que a história foi escrita em uma plataforma como Wattpad ou fanfiction.net, e que, em determinado momento, a autora percebeu que não estava recebendo atenção o suficiente e começou a inventar algo para melhor a trama. Ainda assim, não obteve sucesso.

Os personagens secundários estão lá para tapar furos que não precisariam ser tapados se os personagens principais fossem bem trabalhados. A psicóloga, por exemplo, fala com Ethan como se fosse amiga, dá conselhos e tudo mais como se não fosse uma profissional ali, apenas para explicar os problemas do mocinho. Até aí, tudo bem, mas então ela vai atrás da Aubrey e dá conselhos para ela não deixar Ethan... Totalmente descabido. Nunca que um psicólogo faria isso. Não é lugar dela como profissional. Faltou um bocado de pesquisa. 

A personalidade de Ethan também é rasa: ora ele é um homem desagradável, tem o apelido de Iceman, grita com todo mundo sem motivo nenhum, ora, no parágrafo seguinte, já está preocupado com a sua assistente, que só levava patada dele, e a segue no banheiro para ver se ela está passando bem. Se essa foi uma questão temporal, a autora pecou e muito em fazer o tempo passar no livro, pois as coisas eram descritas como se acontecessem de um dia para outro. 

Lógico que nem sempre os autores mantêm uma linha de escrita, mas não é uma questão de enredo, é a forma como ele foi explorado, neste caso: não explorado. Tinha história com grande potencial ali, mas os personagens simplesmente dialogavam como robôs. Sem descrição de ações ou sentimentos. Fiquei realmente decepcionada com essa obra. 

Enfim: não indico.




Gostou da resenha e quer ir olhar o livro? Pessoa corajosa!! xD 
Mas leia por esse link, que você ajuda o CJL a se manter e não paga mais por isso! 

You Might Also Like

1 comentários

  1. Eita, não conhecia o livro, mas já sei que não vai entrar para a lista de futuras leituras!!

    ResponderExcluir

Postagens Populares

Curta no Facebook