Proibido, de Tabitha Suzama



Como embaixadora do Wattpad, a pergunta que eu mais escuto é “pode histórias com incesto??”. Já perdi a conta de quantas vezes eu respondi que sim, pode ter histórias com incesto na plataforma.

“Mesmo romantizado?”


Mesmo “romantizado”, ainda que eu não goste desse termo nesse contexto, já que incesto não é crime, portanto não há exatamente nada de “errado” legalmente para existir uma "romantização".

“Mesmo se for de romance entre irmãos de sangue?”

Qualquer tipo de história de incesto tá liberada. Com exceção, claro, de histórias com menores de idade, que aí configuram como pedofilia.

“Mas incesto é contra a lei!”

NÃO É PROIBIDO NO WATTPAD. Ponto final! Incesto não é crime no Canadá nem no Brasil, então não há discussão, gente!

Não vou dizer o que eu penso de relações incestuosas, aqui não é lugar para esse tipo de debate e eu realmente não tenho muito interesse no assunto, mas vou dizer algo muito importante sobre: todo mundo que passa horas brigando no Facebook por causa de histórias de incesto DEVERIA ler Proibido.

Eu tenho interesse nesse livro há anos, desde quando uma amiga minha trabalhava na Editora Valentina. Ela quem indicou, mas sabe o pé atrás? Eu tive medo do que ia ler, tive medo de como a história seria contada, do que seria ou não ressaltado… Confesso: tive um preconceito do caramba também.

Mas eis que o livro apareceu na lista de parceria, e eu gritei “É HOJE”.

Vou te falar.

Melhor escolha que eu fiz enquanto parceira da Editora.

Proibido é um livro extremamente delicado, sensível e que toca em aspectos extremamente importantes quanto ao assunto. É muito fácil a gente sair por aí berrando que dois irmãos se apaixonarem é imoral, anticristão, indecente e o caramba, mas quantas pessoas você conhece que pensam no outro lado? No lado de quem não conseguiu conter o sentimento, no lado de quem projetou no irmão um conceito de família e amor levemente distorcido graças ao descaso dos pais?

Essa é uma pergunta que martela na minha cabeça desde que terminei a leitura do livro.

Lochan e Maya são os irmãos mais velhos de uma família destroçada. A mãe é uma irresponsável alcoólatra e o pai é um babaca ausente que arrumou outra família e abandonou seus cinco filhos.

No meio do caos que é ser adolescente em uma família assim, os irmãos acabam se unindo para criar os mais novos. Só que ninguém disse que ser pai de seus irmãos é fácil, né? Lochan já tem seus infernos pessoais devido a uma espécie de fobia social que desencadeia crises de pânico fortíssimas, ser responsável por uma casa não ajuda em nada.

Maya, por outro lado, sente uma responsabilidade GIGANTE de tentar dar conta de tudo: cuidar dos dois mais novos, duas crianças, do irmão do meio, o rebelde Kit, que não sabe lidar com os abandonos e a solidão e sai fazendo bobagem por aí, da casa e da escola enquanto se vira nos trinta para conter o desejo que sente pelo irmão mais velho.

Dos dois, é a jovem quem é mais cabeça aberta em relação ao sentimento. Diversas vezes ela questiona o que a sociedade tem a ver com eles, por que não podem ficar juntos, se há amor, por que poderia haver dedos apontados para eles, mas não há nenhuma mão estendida para ajudar, coisas do tipo.

Na minha humilde opinião, não há amor de casal entre os dois. O que há na história é uma projeção muito grande da ideia de família, ou seja, companheirismo, cuidado com o próximo, com seus “filhos”, etc. Claro, some isso aos famigerados hormônios de adolescente.

Mas quem sou eu para dizer se há ou não amor ali? Nada tira o brilho do livro, a emoção que eu senti. Eu, que durmo cedo como se tivesse 90 anos de idade (sério, eu costumo ir para a cama nove horas da noite), fiquei acordada, de olhos arregalados, devorando o livro até altas horas da madrugada. Li praticamente tudo em uma noite só, com o coração apertado, cheguei a torcer pelos dois, para que eles pudessem ter um pouco de acalento no meio de tanto sofrimento, cara…

Proibido é um livro extremamente tocante, delicado e importante de ser lido. É bom para dar aquela refletida esperta sobre quanto tempo a gente perde julgando o próximo e quanto tempo a gente dedica ajudando quem precisa de uma mão.

Recomendo com força, em especial para todos que continuam povoando minha caixa de mensagens no Wattpad com “INCESTO DEVIA SER PROIBIDOOOO!”

Vão ler, minha gente. Sério.




Se interessou pelo livro? Comprando por esse link, você ajuda o CJL a se manter e não paga nada a mais por isso! :)

Um comentário:

  1. confesso que eu tenho nervoso desse tema, entendo quando no caso são irmãos que não foram criados juntos, q não sabiam que eram irmãos e talz, mas alguém criado junto contigo seila, eu acho bem bizarro, porém a premissa do livro parece bem interessante msm ^^

    ResponderExcluir