Horror na Colina de Darrington, de Marcus Barcelos


Antes de começar a resenha, preciso contar um segredo sobre mim: sou medrosa, cagonilda mesmo. Quem me conhece desde pequena sabe que isso é MUITO contraditório, já que minha diversão preferida nos fins de semana era comprar pão de queijo no mercado e assistir todos os Sexta-Feira 13 possíveis com minha mãe. Isso lá em 1997, 1998, quando eu nem tinha completado minha primeira década de vida ainda.

Pois é, eu assisti todos os Jasons lançados, até o Jason X e Freddy X Jason. Assisti também todos os do Chucky (menos o penúltimo, o do filho, sabe?), os Michael Meyers, a maioria dos Freddy Kruegers (minha mãe não gostava muito d'A Hora do Pesadelo, por isso não vi todos), todos os suspenses slashers possíveis, de Pânico a Lenda Urbana, os mais sérios tipo O Exorcista, enfim, MUITOS. Acho que assisti mais filme de terror/suspense sangrento na vida do que comédias românticas.

Aí você me pergunta: então como podes ser medrosa?

Olha, até hoje não sei o que deu errado. Um dia cresci e, puft! Fiquei com medo dessas coisas. Exatamente por isso eu nunca leio livro de terror. Já li alguns, claro, uns Stephen Kings (Carrie, o Iluminado e mais um que nunca me lembro qual foi) que não achei a menor graça (eita, que herege, me perdoem!), mas depois que fiquei medrosona mesmo, parei com qualquer coisa minimamente assustadora. Filmes, livros, games, tudo.

Porééééém... Dá uma olhada nesse livro. Sério, olha esse livro.


(Sim, foto do meu cachorro, porque sou covardona e quero fofice nessa resenha. Imagine que ele seja um cão malvado e sanguinário, para combinar.)

Ah, tem mais! Não somente a capa é um arraso, mas as ilustrações também!




Sério, como não dar uma chance para esse livro?? A edição em si já me ganhou só pelo maravilhoso projeto gráfico. Sou apaixonada por capas, já cansei de comprar livro só por causa da arte, confesso.

Mas não foi somente esse o motivo para eu querer esse livro. HCD é um livro escrito por Marcus Barcelos, meu colega embaixador do Wattpad, e eu tenho uma espécie de código de honra em relação a livros nacionais publicados em versão física depois de saírem do Wattpad: eu compro e leio todos que posso. Verdade, juro! Mesmo que o livro não seja muito meu estilo, eu me esforço para comprar (de vez em quando ganho do autor, confesso), ler e resenhar. Meu sonho é fazer uma prateleira só com livros "cria de Wattpad".

Quando vi o livro de Marcus em sua segunda edição, engoli meu medo, chamei a Ludmilla e disse: É HOJE! Imediatamente, eu comprei e...

Ok, mentira, demorei meses para conseguir. Olha só que pessoa corajosa.

Mas consegui, né? Isso que importa! Tive um arroubo de coragem um dia, veio do nada, sabe? Minha mãe perguntou o que eu queria de natal e eu respondi em caixa alta: QUERO HORROR NA COLINA DE DARRINGTON! Minha mãe até suspirou de orgulho: "essa é minha menina, não a cagonilda que tem medinho de jogar Outlast!".

A Amazon maravilhosa, claro, me enviou o livro dias depois, e eu li em pouquíssimas horas. E o melhor: não tive nenhum tipo de problema de desarranjo intestinal causado por falta de coragem. Será que a Clara corajosa da infância está voltando ou o livro é mais suave do que imaginei? Talvez ambos.

A história de HCD é boa! Envolvente, fluida, sem muitos sustos, mas com um bom suspense. Não, eu não tremi de medo em momento algum, mas isso não tira o terror da história, principalmente se levarmos em conta que é um infanto-juvenil.

Talvez, para um leitor normal que não jogava pipoca pro alto de tanto rir quando Jason matava um casal transão, o livro pregue muitos sustos. Para mim, não pregou nenhum. Eu não sou exatamente normal, né? Mas quem é, para ser sincera? Até dois meses atrás eu achava que era uma chorona! Olha a redenção do bebezão com um livro de terror!

Voltando para o livro, o que eu posso falar das ilustrações? Maravilhosas! Lindas! Perfeitas! Que-projeto-gráfico-maravilhoso, Faro Editorial!! Olha... Eu fiquei sem palavras quando abri o livro. Acho que já falei disso, né? Ok, já falei. Mencionei as laterais escuras? Nossa, que coisa mais linda. Me beijem.

Ah, antes que eu me esqueça: a sinopse!

Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.
No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.
Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade.
Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente...

Show, não? Mas o livro não ganha pontos só pelo projeto gráfico e pela história. A escrita de Marcus é boa, limpa, certeira, me dando a impressão de estar vendo um filme no lugar de ler um livro. Não tenho muita memória fotográfica, o que torna a tarefa de imaginar cenários e pessoas um tanto quanto trabalhosa. Pois o autor conseguiu, mesmo sem o auxílio das ilustrações, me colocar como telespectadora da história, não leitora somente. Ponto para ele!

Horror na Colina de Darrington é um infanto-juvenil muito bom, desses livros que sempre terão espaço na minha estante amada. Imaginem o prazer de saber que não somente ele é ótimo em diversos sentidos, como é muito bem editado também. Vai ficar belíssimo em destaque na sala.

Ah, já mencionei o projeto gráfico? É lindo.

Pronto, mãe, pode voltar a ter orgulho de mim. Terminei a leitura de um terror infanto! Só não me pede para jogar Outlast ou ler IT. Aí já ultrapassa os limites da humanidade.

Um comentário:

  1. Olá! Estava com saudade das suas resenhas hehe
    Quero ler esse livro desde quando fiquei sabendo da sua existência! Amo terror, mesmo me cagando de medo e fechando os olhos nas piores cenas.
    Espero me divertir muito com esse livro ^^
    Abs

    ResponderExcluir