Singular, de Zoe X

|  Por Carol Moura  |

Meu primeiro sentimento sobre este conto de autoria da Zoe X foi decepção. Profunda. É um sentimento que eu desenvolvo por poucos livros, sendo sincera. E me decepciono de novo a cada vez que penso nele. Quando penso que é apenas um conto e não um livro. Quando penso sobre quanto eu gostaria de explorar mais a vida de Teddy e Ayleen. O sentimento está tão forte dentro de mim, que eu penso: saco! Por quê? Por que não posso ter mais? 

Não sou uma leitora de tragédias. Não gosto. De difícil, basta a vida, então sou do tipo de garota que não só escreve, como também lê romances com finais extremamente felizes. Sair da realidade dura da vida para entrar em um fantasia que, às vezes, é pior do que a sua realidade? Não, obrigada.

Foram apenas quatro vezes em que me aventurei em ler uma história onde eu sabia que o final seria triste: A culpa é das Estrelas, Como Eu era Antes de Você, Mil Beijos de Garotos e agora Singular. Os dois primeiros, li apenas porque ia sair adaptação para o cinema e gostaria de comparar o livro e o filme, o terceiro foi porque eu queria entender o frisson em cima de um livro trágico e o último eu resolvi encarar sabendo que seria triste porque vi o Booktrailer e definitivamente tive vontade. 

Bem, é uma história triste. O fato de o lado realmente feio do câncer ser abordado de forma tão singela e amena realmente me emocionou, deixando a história ainda mais triste e ainda assim adorável. São crianças precisando lidar com um problema que sequer adultos conseguem na maioria das vezes. Aos treze anos, Ayleen se descobre muito doente e Teddy descobre que vai perder a melhor amiga. Quando Ayleen lhe conta sobre sua ideia eu pensei: isso tá meio Um Amor para Recordar, não? NÃO.

Um Amor para Recordar é uma história de amor adolescente. 

Singular, embora Teddy se veja apaixonado pela melhor amiga, é uma história sobre amizade incondicional. Não importa o que, quando e onde. É sobre sofrer vendo quem você ama morrendo um pouco todos os dias e respeitar a sua vontade mesmo que aquilo corroa você. É sobre não lutar para mudar o breve futuro trágico que lhe aguarda, é sobre viver o que pode no presente sem ressalvas. 

É um conto que nos fala sobre como uma criança pode ensinar sobre a vida e como vivê-la, sobre a morte e como enfrentá-la sem precisar de todo o drama e receitas prontas que estamos acostumados a ler em muitos livros. 

E mesmo sabendo que o final seria triste, mesmo sabendo que era um conto apenas, eu me vi ansiando por mais e acho que é neste momento em que nos damos conta de que encontramos um bom autor. São poucos os que me trazem este sentimento. E Zoe X me provou em 68 páginas de e-book, que eu li uma autora que, mesmo no começo da sua carreira, tem um futuro promissor. 

Se você é um leitor de finais felizes, não desista de Singular apenas porque o final não é como você gostaria que fosse. 

Singular tem final que te ensina como você deveria entender melhor a vida.

Para finalizar, aqui vai um desafio para a autora: Que tal um romance com final feliz? Se você, Zoe consegue emocionar na tragédia, estou ansiosa para saber o que você é capaz de fazer em uma romance com final feliz.

Eu certamente leria.

Parabéns, Zoe.


Link para leitura do livro na Amazon aqui: Singular.

Um comentário:

  1. Singular foi um soco em mim. Personagens profundos e que evoluem em pouquíssimas páginas.

    ResponderExcluir